Pancadão organizado pela internet prejudica comerciante e perturba moradores da área central de Avaré

Na madrugada deste domingo 06/09, centenas de jovens se reuniram na área central de Avaré para um “PANCADÃO” organizado por meio das redes sociais.

Isso tem acontecido com frequência na cidade em alguns pontos como a Praça do Cristo, próximo ao ginásio de esporte, Largo Santa Cruz, até mesmo na praça do Paço Municipal.

A Polícia Militar tem realizado ações para coibir esses encontros com a dispersão dos locais e muitas vezes consegue antecipar impedindo que tais encontros sejam realizados.

Desta vez o local escolhido, foi na rua Pernambuco esquina com a rua Piauí, onde no local existe um posto de combustível e uma loja de conveniência. Procurados pela redação do Jornal Destak Policial os proprietários da conveniência disse que todos os procedimentos exigidos pelos órgãos públicos estão sendo realizados pela loja de conveniência. “Estamos vendendo somente delivery, não temos mesa, não vendemos sem uso de máscara, atendimento um por vez”, nos informou ainda que no último final de semana já havia tido problemas, só que de menor proporção, acionou a Policia Militar a qual tomou as medidas necessárias para a dispersão dos jovens. Já nesta madrugada os responsáveis pela conveniência perceberam que a situação começava a fugir do controle, começaram a pedir para as pessoas deixassem o pátio do posto e acabou sendo hostilizado.

Sobre o consumo de álcool por menores nos informou que não vende bebidas para menores, e que possivelmente adultos que acabam comprando oferece para os menores ou até mesmo os próprios menores acabam trazendo de outros lugares, pois havia bebidas que não são comercializadas em seu estabelecimento.

Mais uma vez o que vemos é um grupo que se organiza pelas redes sociais que acabam prejudicando comerciantes, e moradores em torno dos encontros “PANCADÕES”.

Os proprietários estão preocupados com as possíveis penalidades, “Com relação a notificação e multa, mas vamos tentar reverter essa situação, pois ficamos tanto tempo sem vender, esse tempo de Pandemia não foi fácil, e ainda não está sendo, o problema maior não é nosso, é a falta de consciência das pessoas que ficam pela via” disse um dos proprietários.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.